Prof. Vedovato é convidado para o ORTOG 2018

21 de November de 2018

image003-1

 

 

 

 

 

 

 

Nos dias 16 e 17 de novembro de 2018 aconteceu, no Centro de Convenções Rebouças, o “IV Simpósio Internacional de Ortodontia e Cirurgia Ortognática – ORTOG 2018”. O evento foi promovido pelo Serviço de CTBMF da Divisão de Odontologia do Hospital das Clínicas da FMUSP.

O prof. Vedovato foi convidado para ministrar uma palestra neste evento que teve como tema ” Deformidades Complexas da Face. Devolvendo o sorriso e a qualidade de vida. ”.

ortogDra. Maria Eduína da Silveira (comissão organizadora) e o Dr. Eurípedes Vedovato

DR. EURÍPEDES VEDOVATO CONCLUI A SÉTIMA TURMA DE CURSO EM PORTUGAL

07 de November de 2018

O diretor clínico da Vedovato Odontologia, Dr. Eurípedes Vedovato, concluiu no dia 3 de novembro de 2018 o quinto e último módulo do seu curso do ano de 2018 em Portugal.

O curso clínico abrange assuntos de Oclusão e Prótese Parcial Fixa sobre dentes e implantes, onde os oito alunos reabilitaram quatro pacientes. O curso acontece na clínica Mollaris em Leiria, Portugal.

O prof. Vedovato ministra esse curso em Portugal desde 2010, a edição do ano de 2019 que se iniciará no mês de março, já encontra-se esgotada.

alunos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em pé ao fundo, Drs. Alberto Torres, Eurípedes Vedovato e Silvia Manteigas.

Sentados da esquerda para direita os Drs. Marco Policarpo, Joana Carvalho, Mª Margarida Gabriel, Carla Tavares, Diana Ferreira e Cristina Dias.

 

jantar

Alunos do curso, professores, assistentes e a equipe de apoio da clínica Mollaris – Leiria, PT, no jantar de confraternização de encerramento do curso.

 

 

 
mollaris-2mollaris-1

NOVA TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA

07 de November de 2018

O prof. Eurípedes Vedovato e sua equipe iniciaram uma nova turma de especialização em Prótese Dentária, desta vez tendo como parceira a Faculdade de Tecnologia IPPEO formalizado por um convênio de cooperação e intercâmbio técnico-científico.

O curso iniciou-se no dia 3 de outubro de 2018 e terá duração de 24 meses.

espe

Ao fundo em pé o prof. Vedovato com os demais professores e assistentes. Sentados, os 12 alunos que foram selecionados para serem os futuros especialistas em prótese dentária.

VEDOVATO ODONTOLOGIA REALIZA SEGUNDA EDIÇÃO DO CURSO DE DISPOSITIVO INTRA ORAL PARA RONCO E APNEIA

14 de August de 2018

Nos dias 03 e 04 de agosto de 2018 ocorreu a segunda edição do curso “Dispositivo intra oral para ronco e apneia”, que foi ministrado pelos Profs. Rodrigo Corsi (T.P.D.), Dr Luis Fernando Barbosa (C.D.) e pelo médico otorrinolaringologista Dr. Sérgio Takeji Mitsuda.

Os alunos usufruíram de dois dias de conteúdo teórico, clínico e laboratorial. Todos os alunos confeccionaram um aparelho para controle do ronco e apneia durante o treinamento laboratorial.

turma-ronco-2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em pé da esquerda para a direita: Dr. Flávio Iacobucci, Professor Dr. Luiz Fernando Barboza, Dra. Avilene Marta, Professor TPD Rodrigo Corsi, Dr. Paulo Nuernberger, Dr. Gilson Hoffman, Dr. Eurípedes Vedovato, Dr. Emílio Zanata, TPD Elisângela Cruz e Dra. Camila Duarte.

Sentadas da esquerda para a direita: Dra. Vera Vitelli, Dra Cristiane Hunnicutt, Dra. Lise Milan, Dra. Fátima Iacobucci e Milena Barbosa (estagiária).

img_4622-3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dr. Sérgio Takeji Mitsuda, médico responsável pela programação relativa a área de otorinolaringologia do curso, onde abordou os temas voltados para o diagnóstico e tratamento médico da apneia obstrutiva do sono, ronco primário e distúrbios do sono.

placa-ronco

 

 

 

 

 

 

 

Dispositivo intra oral para ronco e apneia.

Dr. Eurípedes Vedovato participa da VI Jornada de Cirurgia Ortognática e Ortodontia do Hospital Sírio – Libanês

11 de June de 2018

Nos dias 01 e 02 de junho de 2018 aconteceu a VI Jornada de Cirurgia Ortognatica e Ortodontia do Hospital Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa que teve como tema central “Otimizando Resultados: Função e Estética, com coordenação do Dr. Luiz Carlos Souza Manganello e da Dra. Maria Eduína da Silveira.

O Dr. Eurípedes Vedovato teve sua participação em uma das mesas de discussões sobre deformidades complexas versus estética facial e do sorriso, versando sobre a odontologia restauradora na devolução da beleza do sorriso.

4a40bd9e-5273-40c9-b819-c49f803430ba

 

 

 

 

 

 

 

Da esquerda para a direita: Dr. Luiz Carlos Souza Manganello, coordenador do evento, Dr. George Boraks, Dra. Maria Eduína da Silveira, coordenadora do evento e Dr. Eurípedes Vedovato.

ad6752a7-e654-4e32-b03b-be2ba8f72cb2

Dr. Eurípedes Vedovato e Dra. Maria Eduína da Silveira.

 

Corpo clínico da Vedovato Odontologia nos 40 anos da APCD Jardim Paulista

07 de June de 2018

Nos dias 18 e 19 de maio de 2018 aconteceu o XIII Encontro APCD do Jardim Paulista, edição especial para comemorar os 40 anos de fundação da APCD do Jardim Paulista em São Paulo.

O evento contou com 10 palestras das mais diversas áreas da Odontologia com conteúdos extretamente atualizados, ministrados pelos professores de cursos de especialização da APCD Jd Paulista e também de convidados, como a Dra. Maria Salete Nahás Pires Correa na áera da odontopediatria e o Dr. Mário Góes na área de materiais dentários da UNICAMP.

O prof. Eurípedes Vedovato,  foi ministrador do tema “A Reabilitação Oral e os Criadores de Verdades”e a Dra. Marta Riesco ministrou, juntamente ao Dr. Vicente de Souza Pinto, a palestra “Qual o Futuro da Implantodontia?”.

 

img_1573

 

 

 

 

 

 

 

Dra. Márcia Ayres, presidente da APCD do Jd Paulista entregando ao Dr. Eurípedes Vedovato seu certificado de palestrante.zuolo

 

 

 

 

 

Dra Márcia Ayres e Dr. Mário Zuolo, coordenador do curso de especialização em endodontia.

salete

 

 

 

 

 

 

 

 

Dra. Maria Salete Nahás Pinto e Dr. Nelson Sabino, coordenador do evento.

zanatta

 

 

 

 

 

 

 

 

Dr. Emílio Carlos Zanatta fazendo sua apresentação.

mario-goes

 

 

 

 

 

 

 

Dr. Nelson Sabino, prof. Mário Góes e Dra. Márcia Ayres.

marta

 

 

 

 

 

 

 

Da esquerda para a direita: Drs. Eurípedes Vedovato, Marta Riesco, Nelson Sabino e Vicente de Souza Pinto.

encontro-1

 

 

 

 

 

 

 

Da esquerda para direita: Drs. Isabel Vedovato, Eurípedes Vedovato, Angélica Vedovato, Caroline Parducci e Thiago Vedovato.

 

 

 

 

VEDOVATO ODONTOLOGIA REALIZA PRIMEIRA EDIÇÃO DO CURSO DE PLACA DE RONCO E APNÉIA

10 de April de 2018

Nos dias 06 e 07 de abril de 2018 ocorreu a primeira edição do curso “Placa de Ronco e Apneia”, que foi ministrado pelos Profs. Rodrigo Corsi (T.P.D.), Dr Luis Fernando Barbosa (C.D.) e pelo médico otorrinolaringologista Dr. Sérgio Mitsuda.

Os alunos usufruíram de dois dias de conteúdo teórico, clínico e laboratorial. Todos os alunos confeccionaram um aparelho para controle do ronco e apneia no treinamento laboratorial.

turma-ronco-1-b

 

Da esquerda para direita em pé: Dr. Thiago Vedovato, Dr. Eurípedes Vedovato, Sra. Cintia (representante da Labordental),Dr. Sérgio Nogata, Dra. Marcia Carvalho, Elisangêla Cruz (T.P.D.), Dra. Márcia Ayres, Dra. Maleny Barajas, Dr. Érico Campos, Dra. Lívia Grinberg, Dr. Ronaldo Inocêncio, Dr. Marco Meloncini, Dr. Sérgio Yasuda, Dr. Élcio Mattos e Dra. Renata Yasuda.

Da esquerda para direita sentados: Dr. Sérgio Mitsuda, Dra. Vivian Cristina Martins, Dr. Luiz Fernando Barbosa, Rodrigo Corsi (T.P.D.) e Dra Lilian Caravaggi.

Vedovato Odontologia disponibiliza tratamentos com Ozônioterapia

11 de December de 2017

Nos dias 20, 21 e 22 de outubro de 2017 a Dra. Angélica Vedovato fez mais um curso de atualização para aplicação da ozônioterapia pela ABOZ, no Hotel Matsubara em São Paulo. As aulas foram ministradas por vários professores da área, com a participação do professor americano Philipi Molica. A Dra. Angélica fez sua habilitação em ozônioterapia pela Universidade São Leopoldo Mandic (Campinas – SP) em fevereiro de 2017 e tem atuado na área desde então.

A ozonioterapia é o uso do ozônio para fins medicinais. É produzido por um gerador com oxigênio puro (medicinal) podendo ser veiculado na forma de água ozonizada, gás de ozônio e óleo ozonizado. O ozônioterapeuta é um dentista especialmente treinado para tal função. O ozônio medicinal tem propriedades altamente bactericidas, fungicidas e antivirais (virostático). Suas propriedades podem também ativar o sistema imunológico, pois é um estimulador biológico. Na Odontologia ele é aplicado somente na forma tópica e é coadjuvante em todas especialidades dando conforto e melhor resultado aos tratamentos.

Para mais informações entre em contato conosco ou acesse: www.aboz.org.br

post_blog_oxi3

Prof. Vedovato lança o movimento Slow Dentistry no Brasil

21 de November de 2017

Movimento “Slow Dentistry”

 

Todas as ciências do desenvolvimento humano encontram-se em um turbilhão de mudanças, numa escalada conduzida pelas redes sociais, influenciando esta geração e que com certeza será “mutagênica” para as próximas. Na área da saúde, essas mudanças também atingiram os profissionais e os pacientes, não cabe a mim discorrer sobre a medicina, porém o manifesto “slow medicine” está presente e de uma maneira marcante se contrapõe a atual forma de resultados efetivos, baseados nos exames e pouco na manifestação clínica do paciente e muito menos na humanização do atendimento ao paciente. Um de seus precursores é o médico italiano Marco Bobbio, secretario geral do movimento slow medicine (medicina lenta) e autor dos livros “O doente imaginado” e “Troppa Medicina” (muita medicina), este último não lançado no Brasil. O movimento “slow medicine” assim como o “slow food”, querem discutir o modelo atual de concepção da medicina e da alimentação.

Gostaria de discorrer um pouco o que está se passando com a odontologia mundial neste momento, onde um “modelo de resultado” está indicado para todos os pacientes.

O meu repúdio é dirigido ao caminho que a odontologia está trilhando, um caminho de resultados imediatos, rápidos, onde o paciente é o trampolim para alavancar somente o dinheiro.

Atualmente, e cada vez mais, os estudos nos levam a acreditar que a humanização do atendimento se sobrepõe aos resultados dos exames e análises computadorizadas. Por exemplo, no tratamento das desordens temporo-mandibulares (D.T.M) e das dores orofaciais (D.O.F), os resultados dos exames nos auxiliam na forma de particularizar a terapia e não impor uma terapia igual a todos.

No atual momento em que as pessoas estão conectadas o tempo todo, é notório o aumento de pacientes que nos procuram com alterações dentárias caracterizadas por sinais e ou sintomas decorrentes de parafunções em idades precoces e dependentes de medicamentos para estabilidade emocional, cada vez mais, teremos em nossas clínicas pacientes com este perfil. A compreensão do paciente eixo I e eixo II, é fundamental para o resultado do tratamento reabilitador dos dentes e esse tratamento deve ser concebido num modelo personalizado que seja previsível e respeite as articulações, os músculos e o bom funcionamento do sistema mastigatório. O respeito a cicatrização, maturação e estabilidade dos tecidos ósseos e gengivais não mudaram, décadas de estudos comprovaram e nos deram diretrizes do processo de reparação das estruturas que envolvem um tratamento odontológico.

A fórmula do sucesso e longevidade está disponível e comprovada e de uma forma simplista podemos colocar que o diagnóstico correto, plano de tratamento, tempo de atendimento para realização dos procedimento, tecnologias e experiência clínica, nos levam ao sucesso e a longevidade dos tratamentos. É bem provável que parte dos insucessos estejam relacionados ao tempo de atendimento diminuído.

O Professor Henry Marsh é um conceituado neurocirurgião inglês que tem alguns livros escritos sobre a sua área de atuação e possui inúmeras “frases de efeito” que obrigam o leitor a refletir, ele diz:

 

“É preciso três meses para aprender a fazer uma cirurgia, três anos para saber quando é preciso faze-la e 30 anos para saber quando não se deve fazer a cirurgia. ”

 

Por essa razão, lanço o movimento “slow dentistry” aqui no Brasil, pois ele já está germinando na Europa e espero abrir um debate com colegas que compactuam com a ideia da odontologia não se enveredar neste universo que a medicina e a alimentação já entraram e estão tentando reverter.

A odontologia não pode ser comparada ao “fast-food” que transformou a medicina e a alimentação e como diz o Dr. Marco Bobbio, as pessoas sentam a mesa não para comer o que desejam e sim “o que pode” ou o que “não pode”.

Na odontologia, o que vemos hoje nos eventos patrocinados por empresas reflete o que está escrito no último livro do professor Jiménez-Lopes: (“Ajuste Oclusal em Implantes e Dentes Naturais: Oclusão em 3D”) “ Temos muitos jovens ignorantes e inexperientes sem nenhuma dúvida e muitos inteligentes e experientes cheios de dúvidas”.

Tem muito dinheiro e “economia” dentro dessa nova odontologia, porém não se iludam os mais jovens, o resultado financeiro não ficará com o dentista e muito menos melhorará a vida do nosso paciente. Há 30 anos atrás, os dentistas concluíam os cursos de graduação e tinham a certeza de que montariam seus consultórios particulares para atender “seus” clientes. De 15 anos para cá os dentistas deixam a faculdade e tem a certeza que serão empregados de alguma clínica onde terão que produzir muito em pouco tempo, para sobreviver.

Precisamos parar e pensar, mudar a forma de agir, do contrário teremos em um futuro próximo dentistas emburrecidos, empobrecidos e inúmeros pacientes insatisfeitos.

Precisamos repensar a odontologia atual.

 

 

São Paulo – Novembro de 2017

Eurípedes Vedovato

Curso de Oclusão e Prótese Fixa em Portugal

15 de September de 2017

Do dia 29 de agosto ao dia 3 de setembro, o prof. Eurípedes Vedovato e o Dr. Thiago Vedovato realizaram o 4º módulo do curso de Oclusão e Prótese Fixa na Clínica Mollaris, na cidade de Leiria, Portugal. Foram 4 dias de muito trabalho e ensinamentos. Nesses dias ocorreram aulas teóricas e na clínica foram provadas as infraestruturas metálicas e cerâmicas unitárias, moldagens de transferência dos implantes, coppings e preparos de facetas, arco facial e montagem nos articuladores ARTEX, todos os trabalhos foram realizados com a tecnologia CAD-CAM, pelo laboratório de próteses P.M.F. que tem a supervisão técnica, do TPD Pedro Freitas.

Prof. Vedovato orientando os alunos no laboratório da Mollaris, em Leiria.

Prof. Vedovato orientando os alunos no laboratório da Mollaris, em Leiria.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Modelos montados em articuladores ARTEX.

Modelos montados em articuladores ARTEX.